segunda-feira, 15 de junho de 2009

Dessa vez não deu.

Há tempos, combinara com um amigo surfista de nome Onoue, que o levaria a conhecer uma das mais belas montanhas dos alpes do norte o monteTsubakuro.

Esse ano, devido a crise e de ter sido a vítima, fiquei no seguro desemprego, menos mau, já que teria tempo de sobra agora para minhas aventuras.

Esperei um dia de tempo bom para que fossemos num bate e volta para aquele belo lugar de onde se dá para avistar vários picos ao redor e suas belezas naturais.

Convidei mais um grande companheiro o Carlos e marcamos para nos encontrar na saída da rodovia expressa Nagano na cidade de Toyoshina bem cedo, num sábado de sol e clima agradável.

Chegamos primeiro e em seguida, Carlos chegou, arrumamos os equipos e partimos rumo as termas Nakabusa que é o início da trilha até o monte de trecho curto, mas cansativo, esperando que tudo fosse como o planejado, mas não foi bem assim, já que o nosso amigo Murphy resolveu nos acompanhar nessa aventura cheio de falhas e muita confiança da minha parte.


Logo no início fomos recebidos pela fauna local, com seus alegres macacos que de galho em galho procuravam alimentos e nos olhavam com aquele olhar desconfiado querendo nos dizer algo.

Como não entendi, segui em frente pela gostosa trilha rumo ao primeiro abrigo o Gasen Koya, distante umas três horas do ponto de partida.

Durante o trajeto, comecei a notar as nuvens em volta que estavam se formando, mas não dei bolas acreditando somente na previsão que vira logo de manhã e dizia que seria um dia belo, sem chuvas e ventos.


Adiante, começamos a ouvir o que não queríamos ouvir, trovões a nos avisar que deveríamos estar em casa dormindo que ganharíamos mais e os ventos, muito forte, fazendo com que trouxessem mais e mais nuvens em nossa direção.

Para piorar, veio as primeiras gotas e queria acreditar que fossem restos de neve que o vento trazia até nós, mas diabos, era chuva mesmo, foi então que ao verificar numa parada para descanso, que tinha esquecido o meu belo conjunto amarelo para chuva e rezei para que não chovesse muito e realmente não choveu tanto para nos molhar e nos apressamos para chegar ao abrigo, antes que São Pedro ou seria monge Pedro oriental , mudasse de idéia e nos desse o tão sonhado banho de sábado.


Enfim ,chegamos ao abrigo onde o dono nos recebeu muito bem e aproveitamos para comer algo como barras de cereais energéticos e consultar o mesmo sobre as condições da montanha para aquela manhã.

A resposta que veio era a que não queríamos ouvir.Ventos fortes, chuva e muita neve dali pra frente.

Não estava contando com tudo isto, já que a bendita previsão dizia o contrário e foi ai que me lembrei do meu diretor que sempre dizia para ir preparado e não subestimar a montanha, nunca.


Despreparo?Confiança?Falha?Sim, tudo isso e muito mais.Já tinha esquecido do conjunto pra chuva, fui com uma bota para trilhas médias, não levei os crampons e piolet, fora um corta vento e por cima subestimei a quantidade de neve lá no topo.

No abrigo, conversamos e decidimos ir assim mesmo e ver no que dava e se demos mau, já que começou a chover e fez da neve um belo sabão, mas assim mesmo seguimos em frente até que a neve começou a ficar mais profunda e nos fez dar meia volta, faltando pouco para chegar até o ùltimo abrigo, mas fazer o que, acompanhado do Murphy é assim mesmo.Voltamos ao primeiro abrigo e como não restava mais nada a não ser voltar, fizemos a refeição por lá regado a cerveja, logo de manhã.

A cada montanhista que chegava ao local todo equipado, me fazia pensar o que estava fazendo lá, logo eu que nunca negligenciei nada.Será que foi a preguiça que tomou conta?

Sabe lá o que se passou na minha cabeça dessa vez.

O bom foi que apesar de tudo, ainda deu para apreciar a paisagem ao redor antes da chuva e a trilha muito bela, com sua fauna e flora de encher os olhos.

Não foi dessa, mas ela a montanha vai estar lá.Sei que não irei mais, pois retorno ao Brasil em julho, mas meus amigos poderão ir a qualquer dia.

Gostaria de colocar as fotos que mostram como estava a neve lá em cima, mas não ficaram boas.Coloquei as do meio da trilha que eram muito poucas e que gostaria que fosse assim até o final.

Lembrando, ao chegar lá em baixo o tempo tava maravilhoso, com muito sol.Não era o meu dia...

Texto e fotos:Kaoru Noda

2 comentários:

Eliza disse...

Uma pena a previsão do tempo ter falhado, mas a gente sempre tira uma lição, mesmo quando as coisas não dão tão certo assim. Belas fotos. Melhores ventos.

Parofes disse...

Acontece cara....bola pra frente e tenta de novo!
Abraços